Empresa com sede na Espanha produz nova variedade de maconha.
José Mujica aprovou lei para regulamentar mercado de canábis no Uruguai.

 

Da AFP

Semente produzida por empresa com sede na Espanha tem nome em homenagem ao ex-presidente do Uruguai, José Mujica (Foto: Reprodução/Ketama Seeds)Semente produzida por empresa com sede na Espanha tem nome em homenagem ao ex-presidente do Uruguai, José Mujica (Foto: Reprodução/Ketama Seeds)

O popular ex-presidente do Uruguai, José Mujica, que aprovou uma lei para regulamentar o mercado de canábis durante a sua gestão, tem agora uma variedade de maconha personalizada: a "Mujica gold".

Trata-se de uma semente produzida "a título de homenagem" e em "reconhecimento ao trabalho" de Mujica "no tema que nos compete da lei da maconha", explicou nesta sexta-feira (22), à agência France Presse, Javier Ruiz, da Ketama Seeds, empresa que criou a nova variedade.

Mas também "pelo carinho que temos por ele", acrescentou Ruiz por telefone de Navarra, Espanha, onde fica a sede da empresa.

O presidente do Uruguai, José Mujica  (Foto: AFP Photo/Pablo Porciuncula)O ex-presidente do Uruguai, José Mujica
(Foto: AFP Photo/Pablo Porciuncula)

A "Mujica gold" foi introduzida no mercado no ano passado e seu consumo começou a se desenvolver, explicou. "Aqueles que a cultivaram a cultivam de novo".

Ruiz admitiu que o nome "chama a atenção", embora afirma que não buscou um efeito de marketing ao batizá-la com o sobrenome do ex-presidente uruguaio, que teve aprovada durante sua gestão uma polêmica lei que regula a produção, a distribuição e o consumo de maconha no Uruguai.

A lei tem a particularidade de que, uma vez implementada plenamente, colocará o Estado como garantidor da produção e da comercialização da droga.

"Alguns quiseram prová-la por simpatia com Pepe", disse Ruiz, referindo-se ao ex-presidente por seu apelido.

Perguntado sobre as características da semente, ele disse ser fácil de cultivar e afirmou que tem aromas "frutados e florais".

A empresa comercializa as sementes em pacotes de no máximo 10 unidades, que custam 85 euros.

Mujica deixou o poder em 1º de março de 2015. Da lei que assinou no fim de 2013, só o capítulo que corresponde ao auto-cultivo em clubes ou individualmente está funcionando plenamente. A produção nas mãos do Estado e a distribuição a partir de um registro de consumidores ainda não foram implementadas no governo de Tabaré Vázquez.